Engenharia – Engenharia Têxtil

Bacharelado

São as técnicas e os conhecimentos utilizados na fabricação e no tratamento de fibras, fios e tecidos e na confecção de roupas. O engenheiro têxtil projeta as instalações, os equipamentos e as linhas de produção de tecelagens e indústrias de confecção de roupas. Controla custos, processos industriais, como estamparia, tingimento, corte e costura, bem como a qualidade da matéria-prima e do produto final. Coordena o trabalho de operários e técnicos para concretizar os projetos de estilistas e designers. Com conhecimentos de marketing, pode também assessorar e orientar clientes.

O mercado de trabalho

A indústria têxtil brasileira vem se recuperando da crise de 2009. A Associação Brasileira de Indústria Têxtil (Abit) espera, para 2010, crescimento de 4% no setor têxtil, e a geração de postos de trabalho também para engenheiros têxteis. “A maior demanda é na área de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, como fios e tecidos, mas a área de controle de qualidade também tem procurado muitos profissionais”, afirma Camila Borelli, coordenadora do curso do Centro Universitário da FEI. Além desse mercado, o bacharel pode dedicar-se à área de vendas ou atuar como autônomo, prestando consultoria para a indústria, ou como representante comercial de uma confecção ou até mesmo de uma indústria. Rhodia, Tavex (que incorporou a Santista Têxtil), Hering, Marisol e tecelagens como Santa Constância são alguns dos tradicionais empregadores. Em geral, as melhores oportunidades de trabalho estão nas regiões Sul e Sudeste, com destaque para o estado de São Paulo, pelo grande número de indústrias têxteis na capital e no interior, e Santa Catarina, onde existe um importante polo de malharias, fiações e tecelagens. No Ceará, local de várias indústrias de fiação, o mercado também é promissor.

Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

O curso

O primeiro ano é de matérias básicas das engenharias. Depois você estuda a composição de fios e tecidos, os processos e as máquinas empregadas em fiação, tecelagem, malharia e confecção. As disciplinas específicas incluem fibras têxteis, texturização, tecelagem, malharia, beneficiamento, controle de qualidade e desenvolvimento do produto, além de projetos e instalações industriais têxteis. Há também matérias ligadas ao gerenciamento de negócios e outras voltadas para o controle da produção, como controle estatístico de qualidade. O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Duração média: cinco anos.

O que você pode fazer ?

Pesquisa e desenvolvimento

Criar fibras e fios sintéticos para substituir o algodão ou para compor novos tecidos. Desenvolver produtos, como fios e tecidos, para a indústria. Elaborar padronagens e cartela de cores.

Processos industriais

Acompanhar as etapas de produção e implantar novas tecnologias e processos de tinturaria. Projetar fábricas, equipamentos e dar manutenção a máquinas de fiação, tecelagem, malharia, confecção e beneficiamento de fibras, fios e tecidos.

Projetos

Planejar, instalar e ampliar fábricas têxteis. Criar máquinas e equipamentos utilizados nessas indústrias.

Fonte: Guiadoestudante

Duvidas ?

Deixei sua pergunta em

comentario abaixo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *